30 de mai de 2012

A escala de Turim: conheça os riscos de colisões de asteroides

Nas teorias apocalípticas, os asteroides costumam ser apresentados como os responsáveis pelo fim do mundo ou pelo menos da humanidade. O risco de uma pedra espacial gigante colidir com o nosso planeta, contudo, é minúsculo mas existe.

E se atingisse, qual seria a devastação? E quais são os asteroides mais perigosos na nossa vizinhança?

Para informar melhor sobre a possibilidade de impactos de asteroides e cometas, a União Astronômica Internacional adotou em 1999,durante uma reunião em Turim, na Itália, uma escala de risco. Os níveis de perigo vão de 0 a 10 e são divididos ainda em cores de acordo com a chance de atingir o planeta e com a provável devastação a ser causada.

Confira a seguir a escala de Turim e saiba quais são os riscos atuais e qual foi o asteroide a atingir o mais alto nível de alerta desde a criação da tabela.

0-Zona branca: sem risco

A chance de colisão é zero ou tao baixa que efetivamente e como se fosse zero. Também se aplica a pequenos objetos como meteoros e corpos que queimam durante a entrada na atmosfera e quedas de meteoritos que dificilmente causam algum dano. Estão nesta categoria praticamente todos os pequenos objetos fora da Terra.

1-Zona verde: normal

Uma descoberta de rotina de um objeto que passa próximo a Terra e é previsto que não apresente nível de perigo incomum. Cálculos indicam que a chance de colisão é extremamente improvável e não causa atenção ou preocupação publica. Novas observações geralmente fazem o objeto cair ao nível 0.

Atualmente, a Nasa classifica três asteroides nesta categoria, mas nenhum com previsão de encontro com a Terra antes de 2040.

2-Zona amarela: merece atenção dos astrônomos

Um objeto que faz uma passagem um pouco, mas não altamente incomum, próxima a Terra. Apesar de merecer atenção de astrônomos, não há causa para atenção ou preocupação publica, já que uma colisão é muito improvável. Novas observações geralmente levam o objeto ao nível 0.

3-Zona amarela: merece atenção dos astrônomos

Um encontro próximo que merece atenção dos astrônomos. Cálculos estimam chance de 1% ou mais de colisão, capaz de destruição localizada. Atenção publica e necessária se o possível encontro for estimado para ocorrer em menos de uma década. Novas observações costumam fazer cair ao nível 0.

4-Zona amarela: merece atenção dos astrônomos

Assim como o nível 3, ocorre quando um encontro próximo tem 1% ou mais de chance de colisão com o planeta. A diferença e o potencial de destruição, que e considerado “regional”. Geralmente, novos cálculos fazem cair ao nível 0. merece atenção publica se ocorrer em menos de uma década, segundo a previsão. O asteroide 99942 Apophis entrou neste nível em 2005, mas foi reclassificado como nível 1 no mesmo ano. Apesar disso, foi a maior “ameaça” desde a criação da escala.

5-Zona laranja: ameaçador

Um encontro próximo que oferece um serio, porem ainda incerto, risco de devastação regional. Atenção critica dos astrônomos e necessária para determinar se a colisão irá ou não ocorrer. Se o encontro ocorrer em menos de uma década, planejamento governamental de contingência pode ser justificado.

6-Zona laranja: ameaçador

Ao contrario do nível 5, este apresenta uma ameaça de catástrofe global-mas ainda duvidosa. Atenção critica dos astrônomos e necessária para determinar se colisão ira ou não ocorrer. Se o encontro ocorrer em menos de uma década, planejamento governamental de contingencia pode ser justificado.

7-Zona laranja: ameaçador

Um encontro muito próximo de um grande objeto, o qual apresenta um risco sem precedentes, mais ainda incerto, de catástrofe global. Se a previsão for de a ameaça ocorrer ainda neste seculo, planejamento global de contingencia pode ser justificado, especialmente para determinar com urgência e conclusivamente se a colisão ira ocorrer.

8-Zona vermelha: colisão certa

A colisão é certa e será capaz de causar impacto destruidor no solo ou um possível tsunami se for no oceano. O intervalo entre este tipo de evento pode ser de apenas 50 ou muitos milhares de anos.

9-Zona vermelha: colisão certa

Uma colisão é certa, capaz de causar devastação regional sem precedentes em um impacto na terra ou um possível tsunami se for no oceano. Esses eventos costumam ter uma pausa de 10 mil ou 100 mil anos entre um e outro.

10-Zona vermelha: colisão certa

Uma colisão é certa, capaz de causar uma catástrofe climática que pode ameaçar o futuro da civilização como conhecemos, seja o impacto em terra ou mar. Esses eventos costumam ocorrer, em média, a cada 100 mil anos ou até em frequência menor.


Edição e imagens por Robison Davi- Aluno do 2º ano de edificações no cefet-mg campus VII
Fontes: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...